Veja todas as notícias
Outros /// 21.12.2011

por Fundação Estudar

"O conhecimento comportamental é cada vez mais decisivo"

CEO da Suzano Papel e Celulose, Antônio Maciel Neto veio ao Liderança na Prática
“Uma coisa é o conhecimento técnico, o saber dos métodos de gestão, mas o conhecimento comportamental – a maneira como você se comporta – é cada vez mais decisivo”. Essa é a visão de Antônio Maciel Neto, CEO da Suzano Papel e Celulose e protagonista de mais uma edição do Liderança na Prática – que agora aconteceu no INSPER, em São Paulo. Em bate-papo mediado por Cris Correa, da revista EXAME, Maciel falou bastante sobre o entorno das grandes decisões, enfatizando a importância do método e de um processo consciente de gestão.

Formado em Engenharia Mecânica, Maciel comanda a Suzano desde 2006. Hoje, aos 54 anos, ostenta currículo raro, já tendo ocupado os cargos de secretário-executivo do Ministério da Indústria e Comércio, Presidente da Ford Brasil e, posteriormente, Presidente da Ford América Latina. O executivo considera que a sorte foi fator importante para que boas oportunidades aparecessem, mas faz uma consideração importante: “Sorte é o encontro da preparação com a oportunidade. O primeiro elemento [a preparação] nós podemos controlar”.

Na descrição de tais capacidades essenciais ao bom líder, o CEO da Suzano fez questão de abordar a necessidade de domínio da forma e do conteúdo. “Não existe isso de líder generalista, é preciso entender do negócio”, explica Maciel, para quem a metodologia para tomada de decisões também é fundamental: “Isso eu gostaria de ter aprendido antes. É preciso ter um jeito de decidir, um modo de agir”.

O trabalho em equipe e a capacidade de comunicação foram outros fatores lembrados como básicos na conduta de um bom chefe. “É importante que estudar vire um hábito, mas a história do ‘foco no resultado’ foi o esporte [Maciel jogava basquete] que me deu. É uma questão comportamental, não se ensina na universidade”. Porém, trata-se de uma experiência de aprendizagem constante e necessária: “Se você não está aprendendo mais ou acha que sua contribuição não é significativa, é hora de sair”, conclui Maciel.